Qual é o caminho para IT Transformation?

blog-carreirasSegundo a IDC, a era da digitalização já chegou no segmento corporativo e 54% das empresas entrevistadas embarcarão nessa jornada neste ano. A consultoria estima que novos modelos de negócios ganharão mais espaço em 2016, principalmente os suportados pela terceira plataforma com soluções de cloud, mobilidade, mídias sociais e big data. Mas, de fato, as companhias brasileiras estão prontas para embarcar nessa jornada? Qual é o caminho para a era digital?

Na visão do VP internacional da Progress para a América Latina, Matthew Gharegozlou, a primeira coisa que as organizações necessitam é perceber que ser digital não é apenas fazer o bom uso da TI, mas ser capazes de juntar o marketing com a tecnologia. O objetivo é trabalhar com conceitos de multicanalidade proporcionando melhor experiência para o usuário.

“Até algum tempo atrás, o senso comum enxergava a tecnologia como uma camada técnica que servia para agilizar procedimentos. Hoje é diferente, a TI se confunde de tal maneira com o marketing que fica difícil separar uma coisa da outra. O site corporativo, por exemplo, deixa de ser um catálogo eletrônico e passa a ser uma interface real, capaz de conhecer o cliente, intuir suas propensões de compra e criar ofertas específicas no exato momento da visita”, pontua o VP.

As previsões da IDC para este ano registraram que mais da metade das empresas no Brasil embarcarão no DX – Digital Transformation, estreitando a relação entre TI e linhas de negócios com soluções baseadas em modelos colaborativos ou de compartilhamento. Essas ferramentas e novas aplicações serão desenhadas para rodar em cloud e oferecer uma experiência consistente ao usuário final.

Mas para isso funcionar bem, o VP acredita que para as empresas serem mais digitais, elas devem contar com fornecedores de aplicações que não sejam meros técnicos, mas pessoas com expertise do negócio e da realidade digital da organização. “Outro desafio importante é acabar com as ilhas de existência digital. Não é possível mais pensar uma aplicação para a loja, outra para o smartphone e uma específica para a web. O relacionamento com o cliente é único e está em todos os canais de forma coesa”, completa.

Em termos de tecnologias mais indicadas para a era da digitalização, Matthew Gharegozlou explica que a terceira plataforma nunca foi tão presente dentro das organizações. “Não dá para pensar em big data, mobilidade, redes sociais ou computação em nuvem. E a terceira plataforma é justamente a junção de tudo isto funcionando em velocidade cada vez maior. Isso sem contar com as ferramentas de automação do gerenciamento de regras de negócio (a sigla em inglês é BRMS), que prometem mais automação aos negócios e agilidade na tomada de decisões”, completa o executivo.

Léia Machado 21/03/2016

Fonte: http://www.decisionreport.com.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=22189&sid=29