6 ações para ajudar CIOs a construírem a Saúde do futuro

transformacao-digital-health-apis-healthcare-apps-1-1200x565Em todo o mundo, a entrega de serviços de saúde enfrenta desafios demográficos sem precedentes, os quais têm aumentado a demanda em um tempo de austeridade fiscal generalizada. Sem o planejamento adequado e a correta implementação, ela pode entregar um baixo retorno sobre investimentos (ROI), de acordo com o Gartner.

“A Transformação Digital oferece grandes oportunidades para CIOs da área de Saúde moldarem um novo futuro para suas organizações”, diz Mike Jones, Diretor de Pesquisa do Gartner. “Mas, pode ser difícil saber por onde começar em um ambiente altamente politizado no qual decisões precárias podem custar vidas”.

“A transformação dos serviços de saúde baseia-se na convergência de tecnologia e pessoas para entregar o melhor cuidado para pacientes e conduzir para melhor valor”, explica o analista. “Os CIOs podem e deveriam assumir um papel destacado”.

Para isso, o Gartner indica seis prioridades que devem ser seguidas pelos líderes de TI:

1. Melhorar os insights financeiros para alinhar as competências de TI – Para o Gartner, muitas organizações do setor de saúde carecem de visibilidade dos reais custos da entrega de cuidados e isso as colocam em uma posição perigosa de fazer mudanças estratégicas sem entender completamente seus impactos financeiros. Adicionalmente, elas geralmente não possuem as competências de arquitetura empresarial amadurecidas necessárias para identificar e elaborar soluções que possam melhorar resultados clínicos e financeiros. O Gartner recomenda que o CIO trabalhe imediatamente com CFO (Chief Financial Officer) e o CMO (Chief Medical Officer). Esses três profissionais podem começar pela identificação e lançarem um projeto piloto para uma situação de uso específico, com o objetivo de avançar em metodologias de contabilização de custos e adoção de sistemas. Se a ação for bem-sucedida, o CIO pode buscar uma escala adequada para o projeto piloto em toda a organização.

2. Usar arquitetura empresarial para planejar uma era de sistemas digitais em tempo real – Uma vez que a tecnologia se tornou crítica para o sucesso da entrega de serviços de saúde, o ambiente ficou mais desafiador para a gestão. “Pesquisas do Gartner mostram que provedoras de serviços de saúde que carecem de arquiteturas empresariais amadurecidas possuem maior dificuldade em gerenciar a transição para negócios com arquiteturas digitais, incluindo o sistema de saúde em tempo real”, explica Jones. O analista aconselha CIOs trabalharem com gestores e líderes da área clínica para criar estratégicas de alto nível para o estado futuro desejado por uma organização para seu sistema de saúde em tempo real habilitado.

3. Estabelecer indicadores chave de performance para medir o progresso digital – A era digital requer novas métricas para avaliar desempenho, mas muitas companhias de saúde não possuem osIndicadores-Chave de Desempenho (KPIs) apropriados. “Comece por instituir novos KPIs de métricas digitais que reflitam esforços de otimização e transformação”, diz Jones. “Adicione, também, visões explicitamente outside-in sobre métricas de performance para garantir que os esforços de otimização estejam focados em torno do paciente e podem ser vinculados a receitas positivas de saúde”.

4. Racionalizar a aplicação de portfólios para criar novo valor digital -Pesquisas do Gartner mostram que muitos provedores de serviços da área de Saúde não estão materializando o valor completo dos investimentos existentes em tecnologias como Registro Eletrônico de Saúde (EHR) e Telemedicina. Portanto, o primeiro passo é identificar e avaliar o valor que cada aplicação oferece para a organização. “Uma vez que o estágio de avaliação está completo, CIOs podem otimizar seu portfólio de aplicação utilizando quatro estratégias centrais: redução de custos com aquisição de aplicações, redução de custos de aplicação em TI, melhor articulação entre os custos do negócio e de tecnologia e a viabilização da inovação no negócio”, afirma Jones. “Certifique-se da comunicação de qualquer mudança em termos de estratégia organizacional mais ampla, e dos resultados pretendidos na entrega do serviço, para ajudar os acionistas da empresa a responderem positivamente às decisões”, alerta o analista.

5. Criar novos meios para analisar o valor do Registro Eletrônico de Saúde – Segundo a pesquisa Agenda Gartner CIO 2018, 8% dos profissionais na área da Saúde sentem que seus EHRs não entregam o retorno sobre investimentos (ROI) pretendido, 50% dos entrevistados reportaram, ainda, retornos moderados ou pequenos. “Parte do problema é que os modelos atuais de valores baseados em noções convencionais de ROI não capturam adequadamente todos os benefícios de EHRs”, diz Jones. O analista recomenda que as organizações abracem uma mentalidade de evolução contínua de seus registros eletrônicos. As empresas poderiam criar processos formais e de governança para todos os seus acionistas de modo a ajudá-los a medirem o valor por todo o ciclo de vida dos registros EHRs.

6. Estar habilitado para conduzir mudanças efetivamente – Entregar iniciativas digitais no político ambiente de saúde, com recursos limitados, não depende somente de ter o planejamento certo de TI. É preciso líderes habilidosos em inspirar e persuadir. CIOs deveriam reforças suas competências em quatro áreas:

– Política: Gerencie a generalizada importância de políticas organizacionais desenvolvendo parcerias estratégicas com outros líderes.

– Construção coesa: Mire na coesão e no senso de pertencimento como uma meta de racionalização de aplicação, especialmente quando tiver de lidar com fusões, aquisições ou consolidações de sistemas de saúde públicos.

– Estimule mentoria: Líderes mentores que não sabem que, em TI, as práticas são baseadas em evidências (como na medicina) ou não estão comprometidos em seguí-las.

– Narrativa Visual: Eleve o aspecto visual da narrativa ao criar imagens mais atrativas e duradouras de sacrifícios e potenciais ganhos.

(Fonte: http://cio.com.br/gestao/2018/07/19/6-acoes-para-ajudar-cios-a-construirem-a-saude-do-futuro/)